Olá, meus amores! Saudades de mim? Rsrs! Eu, com certeza, estava cheia de saudades de vocês e mal podia esperar para vir aqui contar sobre a chegada da nossa Julinha. Ela está tão linda, esperta e rolicinha! Cheia de saúde, graças a Deus! Ela mama o dia inteiro (sem exagero) e tem sofrido com cólicas, tadinha… Portanto, esses últimos dias têm sido de dedicação exclusiva à minha bebê. Amigas… As que já são mães sabem bem como são esses primeiros dias… Maravilhosamente exaustivos. Dias de sonho, daqueles de se sonhar acordado, literalmente, hehehe! Sei que Mamãe e Paulinha já mostraram algumas fotos da Julia (aqui e aqui), mas eu fiquei devendo contar mais detalhes. Então. Foi assim que aconteceu…

No dia 02 de fevereiro, Julia dava sinais inconfundíveis de que queria vir ao mundo! A cesárea foi marcada para a tardinha. Em casa, a caminho da maternidade, eu estava super tranquila! Mas, doida para finalmente conhecer a minha pequena…

A família inteira foi para a maternidade, esperar a chegada da Julinha!

Foto histórica reunindo vários integrantes da família, momentos antes do parto: Fileira de cima – meu pai Elias, Maria (esposa do meu pai), Maria Helena (mãe do Wagner) e meu irmão João Gabriel. Fileira de baixo: Paulinha (minha irmã, vocês sabem…), Wagner (meu marido), eu (com Julinha na barriga) e minha mãe Tânia. Ficou faltando o Mauro, marido da minha mãe, que bateu a foto, mas ele está ao lado dela na foto acima. “Ok, gente, segura aí, que eu vou ter a Julinha e já volto!”

E Julia chegou. Simplesmente, o momento mais feliz e mais sublime da minha vida: o nascimento da nossa filhinha tão amada. Poucas vezes me faltaram palavras para descrever um sentimento. Essa foi uma delas.

Papai Wagner cortando o cordão umbilical, o último elo físico que nos unia… Julia, agora, não era mais só minha.

Eu e Wagner não conseguimos conter as lágrimas. Uma emoção indescritível, um sentimento de amor profundo à primeira vista e de gratidão inexprimível ao nosso Deus. Ele tinha acabado de nos dar o nosso maior tesouro. Nós estávamos exultantes.

Julinha parou de chorar no instante em que veio para o meu colo, enquanto eu, passei a chorar copiosamente. Foi mágico. Nós nos olhamos, nos tocamos, nos abraçamos, nos cheiramos, e nos reconhecemos… “Ah, era você esse tempo todo!”, uma disse para a outra.

Agora sim, a nossa família estava completa. E eu e Wagner, estávamos apaixonados. Um pelo outro e pela nossa bebezinha. Primeiras palavras do Wagner para mim: “Ela é linda, como você, querida! Bem… Agora, só faltam mais duas!” Ele, que antes pensava em parar por uma filha só, instantaneamente mudou de idéia! Bom demais ter um bebê! Recomendo… (Só não recomendo a cesárea… Pós parto miserento. Rsrs!)

Detalhe importante. Sabe quem tirou essas fotos na sala de parto? Minha mãe! Pois é… Ela também acompanhou o nascimento da Julia, além do Wagner. Só que não quis aparecer aqui no post, de touquinha cirúrgica, a tímida… 😀

Cinco dedinhos em cada pé e em cada mão. Eu contei. E eles eram tão pequeninos…

O momento em que a família viu Julinha, pela primeira vez, pelo vidro do berçário. As carinhas do meu pai e da Paulinha estão impagáveis… A Júlia Pessoa, nossa amiga querida, também aparece na foto. Ela e nossa amada Aninha (Ana Paula Hoffman) acompanharam tudo de perto.

Na foto anterior, Julinha ainda estava no berçário, acompanhada do Papai Wagner e da Vovó Tânia. Nessa aqui, ela está chegando no quarto. Nós chegamos praticamente juntas. E essa é a carinha que ela faz quando quer mamar, rsrs! A menina já chegou com fome! PS: Essa roupinha rosa estava um pouco folgada, né? Pois então… Já não cabe mais na Julia faz tempo…

Julia foi direto para o meu colo. Mamou, lindamente, como se já tivesse feito isso muitas vezes antes e dormiu, feliz. E eu não larguei mais dela! Sério, por uns dois dias, nem para o bercinho ela foi. Ninguém tirava ela do meu colo! Hahaha! #medodemim

Ooooi!

Exceto, por vez ou outra, quando eu deixava o Papai Wagner pegá-la no colo…

… A Vovó Tânia, eu deixei também, rsrs!…

… E a Tia Paulinha também, claro…

… Ah, e os tios todos. Também deixei eles pegarem a Julia…

… Também “tive que deixar” todos os avós pegarem a bebê… Rsrs! (Como meus pais são separados, Julinha tem 3 pares de avós. Sortuda, ela!)

Ah, gente… Viu? Até que eu deixei todo mundo pegar a Julia. Pelo menos um pouquinho, pra tirar foto, hahaha! Não sou tão Mamãe-ursa assim, vai…

Finalmente, as quatro reunidas. Inseparáveis.

É isso, pessoal! Nossa princesinha agora está com quase 2 meses, bem crescidinha. O Wagner é um pai maravilhoso, apaixonado por sua pequena e super participativo. E eu continuo muito grudada na minha bebê, porém mais equilibrada, agora… Tenho sido boazinha e tenho compartilhado ela com toda a família. Rsrs! Ah, eu estou é aproveitando ao máximo, porque daqui a pouco ela cresce e já vai querer casar! Hahaha! Já estou até vendo… #dramaqueen

PS: Esse post levou uns três dias para ser feito. Juliana sentava no computador e Julia clamava por sua atenção. Então, horas depois, Juliana voltava para tentar concluir sua tarefa. Só conseguiu terminar de escrever, quando determinada, sentou-se em frente à tela, e escreveu, como se não houvesse amanhã, enquanto dava de mamar à Julia, em seu colo. Mamãe e filha passam bem.

PS2: Acompanhem mais fotos da Julinha e mais histórias no nosso Instagram, Twitter e Facebook! 😉 Em breve, vou mostrar para vocês detalhes da decoração da maternidade, lembrancinhas e do quarto da Julia. Fiquem por aí, ok? 😉 Bjks!