Hoje, resolvi resgatar uma história que recebi por e-mail há tempos, com o objetivo de homenagear tão importante data.

Leia e reflita:
Movendo Montanhas

Havia nos Andes duas tribos em guerra. Uma vivia na parte baixa; a outra, na parte alta das montanhas.

Um dia, a parte baixa foi invadida pelos povos do alto, que, além de saquearem os inimigos, raptaram um bebê e o levaram para as montanhas.

Os povos da parte baixa não conheciam os caminhos usados pelos povos da montanha. Não sabiam como chegar ao alto, como chegar aos inimigos ou rastrear seus passos pelos terrenos escarpados.

Mesmo assim, enviaram seus melhores guerreiros para subir a montanha e trazer a criança de volta. Os homens tentaram diferentes métodos de escalada. Primeiro um caminho, depois outro.

Após vários dias de esforços, não tinham subido nem quinhentos metros. Sentido-se impotentes e sem esperança, os homens da parte baixa consideraram a causa perdida e se prepararam para voltar para sua cidade.

Enquanto arrumavam o equipamento para a descida, viram a mãe do bebê andando na direção deles.

Perceberam que ela estava descendo a montanha que eles não tinham conseguido subir. E então descobriram que o bebê estava amarrado às costas da mulher. Como era possível? Um dos homens a saudou, dizendo:

– Nós não tivemos êxito em subir a montanha. Como você chegou ao alto se nós, os homens mais fortes e capazes da cidade, não conseguimos?

Ela encolheu os ombros e respondeu:

– É que não era o filho de vocês que estava lá.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
E, minha gente, o amor de mãe não só remove como escala montanhas!

Parabéns!!!…

… a todas as mulheres que lêem esse blog, pois mais cedo ou mais tarde, mesmo que ainda não tenham filhos, o instinto materno falará mais alto.

…a todas que, de uma maneira ou de outra, desempenharam o papel de mãe mesmo sem sê-lo, em algum momento de suas vidas.

… a minha querida e especialíssima genitora que fez de mim o que sou hoje.